Logo Blog.easytravelshop

Manaus: história e atrativos naturais no roteiro

Manaus, capital do Amazonas

Manaus, a bela capital do Amazonas, é a porta de entrada para a exuberante Floresta Amazônica, o maior bioma do planeta. Por mais interessante que seja, a cidade atrai mais turistas internacionais do que brasileiros. Uma pena, porque há muitos atrativos naturais, culturais e históricos a serem descobertos.

A riqueza natural da Amazônia é o maior motivo de atração turística. A floresta, o Rio Negro e sua orla que abraça a cidade, os exóticos hotéis de selva, o encontro das águas, os museus, as aldeias indígenas, o folclore e a gastronomia típica são os ingredientes para uma viagem inesquecível.

Aldeia indígena no Amazonas
Aldeia indígena (Foto: Pixabay)

 

A cidade fundada por portugueses em 1669 conheceu o seu auge durante o Ciclo da Borracha, entre os séculos 19 e 20. Foi nesse período de fartura que Manaus ganhou passou a contar com luz elétrica, água encanada e até bondes circulando por suas ruas. Não à toa era chamada de “Paris dos Trópicos”.

Foi nessa época que os barões que fizeram fortuna com a extração da borracha decidiram construir uma casa de ópera no meio da floresta. Assim surgiram ícones do destino como o clássico Teatro Amazonas, o Palácio do Governo, o Mercado Municipal e o prédio da Alfândega, além de diversos palacetes no entorno, seguindo o mesmo estilo da clássica Belle Époque.

O Centro Histórico de Manaus reúne edifícios e construções históricas, que explicam seu rico passado.

Teatro Amazonas

Teatro Amazonas em Manaus
Teatro Amazonas (Foto: Foto Ana Claudia Jatahy/MTur)

 

Inaugurado em 1896, o Teatro Amazonas é o principal símbolo da época áurea manauara. Construído em estilo neoclássico com influências renascentistas, chama a atenção a sua imponente cúpula que teve inspiração turca. Ela foi feita com cerca de 36 mil peças em cerâmica esmaltada e telhas vitrificadas nas cores da bandeira brasileira.

Ao longo dos seus 126 anos, o teatro com 701 lugares recebeu espetáculos de óperas, orquestras sinfônicas, musicais, peças de teatro, shows, festivais, entre outras apresentações artísticas. Além disso, dispõe de um rico acervo histórico.

Largo de São Sebastião

Largo de São Sebastião em Manaus
Largo de São Sebastião (Foto: Divulgação)

 

É a principal praça de Manaus e está em frente ao Teatro Amazonas. Seu piso de pedras portuguesas pretas e brancas foi inaugurado em 1901. O mosaico seria uma homenagem ao encontro das águas dos rios Negro e Solimões. No centro está o monumento dedicado à Abertura dos Portos, criado pelo escultor italiano Domenico de Angelis. A igreja de São Sebastião, construída em 1888, e o bonito casario restaurado no entorno completam o conjunto do Largo de São Sebastião, que também recebe apresentações artísticas e culturais e espetáculos natalinos.

O melhor boteco da cidade, o Bar do Armando, também fica por lá, na Rua 10 de Julho, 593. Já na Rua Costa Azevedo estão algumas galerias com exposições de arte.

Igreja São Sebastião

É uma das igrejas mais antigas da cidade. Localizada no Largo de São Sebastião, no Centro Histórico, ela surgiu como uma pequena capela de madeira construída em 1859 pelos próprios moradores, junto aos missionários franciscanos que chegaram a Manaus. Em 1888 foi erguida a base de alvenaria com uma arquitetura eclética, semelhante às capelas italianas e com pinturas do período bizantino. A torre tem influência gótica, o frontão neoclássico e a abóbada renascentista. Foi elevada à condição de Paróquia em 1912.

Centro Cultural Palácio Rio Negro

Construído em 1903, o palacete serviu de residência para o alemão Karl Waldemar Scholz, um dos barões da borracha na época. Tempos depois, foi sede do governo do Amazonas e residência oficial do governador.

Atualmente, funciona como um centro cultural com uma vasta e eclética programação cultural gratuita. Recebe exposições de arte – fixas e temporárias – de artistas locais, nacionais e internacionais; recitais, lançamentos de livros, entre outras atividades.

Há visitas guiadas às salas tradicionais do Palácio Rio Negro, que guardam importantes relíquias políticas do estado.

Palacete Provincial

Palacete Provincial em Manaus
Palacete Provincial (Foto: Pixabay)

Localizado na praça Heliodoro Balbi, no Centro Histórico de Manaus, o centenário Palacete Provincial está impregnado de importantes fatos ligados à vida social e política do povo amazonense.

Construído pelo comerciante português Alexandre Paulo de Brito Amorim para servir de residência a sua família. O imóvel foi sede do governo da Província do Amazonas e residência de seus presidentes. Depois, por mais de um século, serviu de quartel da Polícia Militar do Amazonas.

Atualmente, é um patrimônio tombado e abriga um complexo cultural onde estão os museus de Numismática Bernardo Ramos, a Pinacoteca do Estado, o Museu Tiradentes, o Museu da Imagem e do Som, o Museu de Arqueologia/Laboratório de Arqueologia Alfredo Mendonça de Souza e o Ateliê de Restauro de Obras de Artes e de Papel.

O espaço também abriga as exposições “Escritório da obra”, que mostra como estava o prédio antes da restauração, e a “Esculturas do Mundo”, que exibe réplicas de esculturas dos museus franceses; o Café do Pina, a arena de espetáculos Newton Aguiar e o Auditório Multiuso Coronel Pedro Henrique.

Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Localizado na região portuária de Manaus, o edifício construído em 1883, em estilo art noveau, teve inspiração no antigo mercado Les Halles, de Paris. Sua estrutura de ferro leva a assinatura de Gustave Eiffel, o engenheiro francês que projetou a Torre Eiffel.

O mercado municipal de Manaus tem mais de 180 boxes que comercializam produtos típicos da região Norte do Brasil, como peixes, carnes, frutas, especiarias e artesanato. O Mercadão, que ficou fechado para obras de restauro entre 2006 e 2013, fica às margens do Rio Negro.

Para quando você for a Manaus

Arena da Amazônia
Arena da Amazônia (Foto: Pixabay)

 

Como chegar

Saindo de São Paulo, são cerca de quatro horas de viagem até Manaus. As principais companhias aéreas do país – Azul, GOL e Latam – têm voos diretos partindo de São Paulo.

Do Aeroporto Internacional de Manaus, são 14 quilômetros até o centro da cidade, e a melhor forma de chegar é pegar um táxi ou contratar um serviço de transfer até o hotel.

Vacina

Não é obrigatório, mas é recomendável tomar vacina contra a febre amarela dez dias antes do embarque.

Quando ir

Evite viajar a Manaus no inverno amazônico (dezembro a junho), período de muita chuva que provoca a cheia dos rios com alagamento da floresta. Na época da seca (julho a novembro), praias formam-se nos rios na selva e próximo da cidade. Em comum o ano todo apenas o calor.

  • Fica a dica! – Leve roupas leves em sua viagem a Manaus e região. Independentemente do período, o calor é forte. E não deixe de levar protetor solar!
Como circular

Para conhecer Manaus em um roteiro através de seus prédios históricos e principais pontos turísticos, a melhor opção é contratar um city tour e contar com um guia experiente.

Gastronomia
Tacaca é prato típico na região Norte do Brasil
Tacacá (Foto: Giovanni Moschini/Unsplash)

 

A culinária típica de Manaus reflete a da região Norte do Brasil com uma grande variedade de receitas à base de peixes, temperos amazônicos e frutas tropicais como o cupuaçu, guaraná e açaí.

A gastronomia manauara recebeu influências indígenas, europeias e africanas, além de nordestinas por causa dos migrantes que mudaram para a região na época do ciclo da borracha. O resultado é uma irresistível fusão de aromas e sabores.

  • Peixes – Entre os pratos regionais mais conhecidos estão receitas que levam peixes dos rios amazônicos. Entre elas a deliciosa costela de tambaqui na brasa, a caldeirada de tucunaré, pirarucu de casaca, arroz de pirarucu, pirarucu no leite de coco ou no leite da castanha-do-pará, surubim na telha, surubim ao escabeche, entre outros. Eles sempre chegam as mesas acompanhados por tucupi, farofa e um molhinho de pimenta feito de murupi.
  • Tacacá – Prato preparado com a goma da mandioca, camarões e tucupi. É temperado com alho, sal, pimenta, salsinha e jambu, erva que provoca sensação de formigamento na boca.
  • Sanduíche de Tucumã Uma das iguarias mais conhecidas da culinária manauara é o x-caboclinho – ou x-caboquinho como dizem por lá. O apetitoso lanche é preparado com pão francês, banana frita, queijo coalho e lascas de tucumã, uma fruta típica da Amazônia. Para acompanhar peça um suco de cupuaçu.
  • Guaraná — Nada a ver com o conhecido refrigerante, o guaraná no Amazonas é um suco preparado com o pó amargo pó resultante da semente da frutinha. As sementes são torradas e moídas em um processo similar ao do café.
Compras

O Shopping Manauara é boa opção para uma parada estratégica. Em uma passada por lá você aproveita para fugir do calor intenso aproveitando o ar condicionado do local, além de aproveitar para fazer umas comprinhas. O centro de compras tem muitas lojas e restaurantes.

Foto: do destaque: Pixabay

 

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana