Logo Blog.easytravelshop

Manaus: Conheça os parques e museus naturais

Aldeia indígena próximo de Manaus

Como dissemos na primeira parte da matéria sobre Manaus, a capital do Amazonas é um destino rico em história, cultura, natureza exuberante e diversidade de atrativos. Depois de conhecer o Centro Histórico da cidade vale muito à pena visitar os parques e museus naturais nos arredores. Fazer um city tour científico para conhecer a diversidade e beleza da fauna e flora amazônica; e visitar uma aldeia indígena são atividades que não devem faltar no roteiro.

Parque Ecológico do Lago Janauari

Parques e museus naturais em Manaus: Parque Ecológico do Lago Janauari
Vitória-Régia (Foto: Pixabay)

 

Não deixe de incluir uma visita ao Parque Ecológico do Lago Janauari em seu roteiro de viagem. Localizado no Rio Negro a cerca de uma hora de barco de Manaus, é um dos lugares mais bonitos da região. Nos seus 9 mil hectares de matas de terra firme, várzea e igapós (floresta inundada), reúne exemplares da fauna e flora da região amazônica.

As crianças vão adorar conhecer as enormes vitórias-régias (que pode medir até 1,8 metro de diâmetro), os orquidários e observar os macacos pulando de galho em galho, pássaros e jacarés. No local é possível fazer um passeio de canoa nos lagos da região. Uma trilha leva até a majestosa sumaúma, uma árvore com cerca de 70 metros de altura.

  • Fica a dica! – Não deixe de levar repelente porque os mosquitos podem fazer um estrago no seu corpo.

Bosque da Ciência

O espaço abriga vegetação florestal, animais da fauna amazônica e atrativos para a visitação turística. Localizado no perímetro urbano da cidade de Manaus, foi inaugurado em 1995, pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA. Diversos eventos são realizados no local ao longo do ano.

Atenção – A visitação está temporariamente suspensa. Consulte o site do INPA para saber sobre a reabertura.

Museu da Amazônia – MUSA

Parques e museus naturais em Manaus: MUSA
Museu do Amazonas – MUSA (Foto: Bruno Melo/Unsplash)

 

Localizado dentro da Reserva Florestal Adolpho Ducke, na zona Leste de Manaus, o Museu da Amazônia (MUSA) funciona como um jardim botânico da Floresta Amazônica.

Fundado em 2009, o MUSA ocupa área de 100 hectares onde estão 3 quilômetros de trilhas de mata nativa, um lago de vitórias-régias, aquário com peixes amazônicos como pirarucu e o tambaqui, e o serpentário com espécies peçonhentas e não peçonhentas. O local conta também com uma biblioteca, laboratórios, orquidário e borboletário.

Uma grande árvore com 45 metros de altura chama a atenção dos visitantes: a angelim-pedra, que tem idade estimada entre 500 e 600 anos.

Com 42 metros de altura, uma torre de observação permite uma vista maravilhosa acima do topo das árvores da floresta. Mas é preciso subir 242 degraus para chegar no mirante.

Reserva Florestal Adolpho Ducke

Criada em 1963 em homenagem ao entomologista e botânico Adolfo Ducke, a reserva florestal é uma área protegida com 10 mil hectares nos arredores de Manaus. É um dos locais de pesquisa mais importantes da Amazônia. Tanto que é um dos fragmentos de floresta tropical mais estudados do mundo.

Museu do Seringal Vila do Paraíso

Museu do Seringal
Museu do Seringal (Foto: Michael Dantas/MTur-Secretaria Especial da Cultura)

 

Criado originalmente para servir de cenário do filme A Selva (2002), protagonizado pela atriz Maitê Proença, passou a receber visitantes posteriormente. O set de filmagem virou museu porque retrata de forma fidedigna o seringal de Humaitá no início do século 20, período áureo da economia de Manaus por causa do dinheiro vindo da extração do látex.

O Museu do Seringal Vila do Paraíso mostra ambientações do Ciclo da Borracha, com móveis e utensílios à época, além de Casa de Farinha, tapiris de defumação da borracha, barracão de aviamento, entre outros que retratam o modo de vida modo dos homens no seringal – da casa da família do barão da borracha ao barracão dos seringueiros

Saindo de Manaus o acesso até o Museu do Seringal é feito de barco em um trajeto de 30 minutos. As visitas são guiadas e os visitantes conhecem todo o processo de extração e fabricação da borracha. Inclui também uma caminhada através de uma trilha em meio às seringueiras, onde ocorre demonstração de como era retirado o látex da planta.

Aldeia indígena

Aldeia Indígena no Amazonas
Foto: Divulgação

 

Uma viagem a Manaus não estará completa se não houver uma típica experiência amazônica: visita a uma aldeia indígena e conhecer a cultura e os costumes dessa população de brasileiros genuínos. Há algumas comunidades abertas à visitação dos turistas. Entre elas a dos Tatuyos e a Dessana Tukana, na Reserva do Tupé, às margens do Rio Negro. O acesso a elas se dá apenas através de barcos.

Acostumados com a presença de turistas, os indígenas se apresentam com corpos pintados e enfeitados por acessórios feitos de sementes e com cocares na cabeça. Mostram seus instrumentos e utensílios artesanais, bem como seus rituais e hábitos.

Os visitantes são convidados a entrar na oca principal onde são recebidos pelo cacique. Depois participam de uma cerimônia tradicional em que dançam junto com os índios. Têm também a oportunidade de experimentar comidas típicas indígenas. Como dependem do turismo, oferecem peças de artesanato para a venda.

Museu do Índio

Para conhecer mais sobre as populações indígenas do Amazonas, o Museu do Índio reúne adornos, armas de caça e guerra e utensílios domésticos de aldeias do alto Rio Negro. O acervo conta com mais de 3 mil peças. Fundado em 1952 é mantido atualmente pela Congregação das Irmãs Salesianas.

Foto do destaque: Pixabay

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana