Logo Blog.easytravelshop

Bariloche é diversão o ano todo

Bariloche no inverno

Quando se pensa em temporada de neve na América do Sul é inevitável não associar a Bariloche, na Argentina. O importante destino turístico da Patagônia Argentina apresenta paisagens diversificadas, incluindo montanhas nevadas, lagos e florestas. Além dos cenários naturais impressionantes, oferece uma rica gastronomia, bares, casas noturnas e até cassino. Seja no inverno ou no verão, o destino reserva atrações para toda a família.

Bariloche está envolvida pelas margens do lago Nahuel Huapi e seu parque nacional, que oferecem muitas atividades ao ar livre aos visitantes. A cidade de estilo suíço tem ótimos restaurantes com gastronomia das montanhas, lojas, boutiques de chocolate e variada rede hoteleira. Charmosos, diversos hotéis são convite para quem aprecia curtir um bom vinho no aconchego de uma lareira.

Temporada de inverno em Bariloche
Diversão na neve (Foto: Bariloche Turismo/divulgação)

 

Embora reúna atrativos para serem desfrutados em qualquer época do ano, San Carlos de Bariloche é sinônimo de inverno e neve. E atrai muitos turistas – principalmente brasileiros – em busca do frio. Desde os praticantes de esqui até os que querem apenas se divertir e curtir os belos campos nevados da região andina. Durante os meses mais frios os visitantes podem esquiar ou simplesmente curtir a neve em passeios pelas montanhas e lagos.

Há, ainda, quem queira apenas saborear um chocolate quente com amigos e familiares em uma das cafeterias do simpático Centro Cívico, o marco zero da cidade e ponto de encontro de todos.

Centro Cívico
Centro Cívico em Bariloche
Centro Civico (Foto: Thayran Melo/Unsplash)

 

Famosa pela arquitetura de seu centro da cidade, o Centro Cívico, Bariloche reúne um conjunto de residências em estilo alpino. Casas de pedra abrigam lojas de suvenires, boutiques, restaurantes e cafés. Chama a atenção a catedral que está em posição privilegiada, pairando sobre o lago.

Museu da Patagônia

O Centro Cívico também abriga o Museu da Patagônia, que tem exposições relacionadas à história do parque nacional e seus arredores, além de achados arqueológicos, história natural e artefatos indígenas. A sala Pueblos Originarios mostra os povos nativos que viviam na região, entre eles o Mapuche.

Chocolates
Chocolate quente
Chocolate quente (Foto: Rita und mit/Pixabay)

 

A região central de Bariloche também tem série de lojas especializadas em chocolate. A maioria está na rua principal, a Bartolomé Mitre. Uma das mais tradicionais é a Chocolates Rapa Nui, no local desde o início do século 20 e criada por um imigrante italiano. A loja também dispõe de um café que serve sobremesas e até sorvetes. Outras opções são a Chocolates del Turista, Mamuschka e Bonifácio.

Há também um Museu do Chocolate pertencente à fábrica Havanna. Nele os visitantes conhecem a história do chocolate e o processo de fabricação dos produtos.

Atrações turísticas não faltam em Bariloche

Bariloche oferece bons serviços e infraestrutura capazes de atrair turistas de todo o mundo. Reúne atrativos turísticos e atividades para toda a família. Alguns dos principais centros de esqui da América do Sul estão em Bariloche. Entre eles o Cerro Catedral, Cerro Otto, Cerro Tronador, o Cerro Lopez, Cerro Challhuaco, o Parque Nacional Nahuel Huapi, Piedras Blancas, o Campanario, a Ilha Victoria, o Bosque de Arrayanes e o refúgio Neumeyer, que se destacam como complexos de diversão e gastronomia sofisticada.

Cerro Catedral
Cerro Catedral em Bariloche
Cerro Catedral (Foto: Federico Persiani/Unsplash)

 

É a mais famosa e antiga estação de esqui da Argentina. Com mais de 70 anos de funcionamento, recebe cerca de 250 mil visitantes a cada temporada de inverno. Seu ponto mais alto está a 2,2 mil metros e a temperatura média varia entre 12 graus positivo e 2 graus negativos.

O Cerro Catedral possui a maior superfície para a prática de esqui do continente com 9 quilômetros de pistas. Para manter a atividade sempre constante, 11 canhões produzem neve artificial e 14 máquinas nivelam as pistas. Sua rede hoteleira oferece mais de 7 mil leitos, enquanto a cidade de Bariloche tem outros 28 mil. Tours pela região levam aos principais cenários do destino, incluindo vistas do lago Nahuel Huapi e de seu parque nacional.

Parque Nacional Nahuel Huapi
Parque Nahuel Huapi em Bariloche
Parque Nahuel Huapi (Foto: Emprotur/divulgação)

Passeio imperdível em Bariloche. Oferece muitas atividades ao ar livre. Entre elas caminhadas nas várias trilhas, passeios em jangadas, caiaques ou a bordo de modernos e confortáveis catamarãs no lago Nahuel Huapi, que é formado por águas cristalinas do degelo das geleiras. O visual ao redor impressiona pela beleza.

  • Ilha Victoria – Situada dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, a ilha no Lago Hahuel Nuapi é acessível por uma curta viagem de barco. A Ilha Victoria tem aproximadamente 31 quilômetros quadrados, porém apenas um terço dela é acessível. É uma interessante opção de passeio para quem gosta de curtir a flora e a fauna da floresta. Em algumas cavernas e na Praia do Toro há evidências de antigos povos indígenas que habitaram a ilha no passado. Na praia de areia vulcânica são visíveis as pinturas rupestres dos primeiros habitantes do local.
Cerro Tronador
Cerro Tronador
Cerro Tronador (Foto: Raimund Andree/Pixabay)

 

Distante duas horas de Bariloche, o Cerro Tronador é um vulcão extinto que tem ao redor florestas e diversos pequenos lagos. Localizado no Parque Nacional Nahuel Huapi é a montanha mais alta da região dos lagos da Argentina com 3.478 metros de altitude. Ela tem três picos denominados Argentino, Internacional e Chileno.

Passeio pela região levam a cenários naturais de grande beleza com lagos, cachoeiras, boques e o rio Manso, que é muito procurado pelos visitantes para a prática de rafting. Destaque para o Glaciar Ventisquero Negro.

Cerro Otto
Cerro Otto em Bariloche
Cerro Otto (Foto: Emprotur/divulgação)

 

Junto ao Cerro Otto, o Centro de Esqui Nórdico é uma excelente opção para famílias com crianças. Mais horizontal, permite a atividade para pessoas menos habituadas com a prática do esqui. A estação tem 10 quilômetros de pistas e uma escola com monitores. Crianças a partir de 5 anos de idade podem esquiar.

Um teleférico fechado com capacidade para quatro pessoas leva os visitantes ao topo da montanha. O local oferece passeios de quadriciclos, snowmobiles, trenós puxados por motos de neve e caminhadas com raquetes nos pés através dos bosques. Também é possível fazer esquibunda.

Como não poderia ser diferente, o destaque é a espetacular paisagem que tem o lago Nahuel Huapi como centro das atenções. Uma confeitaria giratória a mais de 1,4 mil metros de altura é garantia de um lugar aquecido e de um gostoso chocolate quente. Ela dá uma volta completa a cada 20 minutos. Cerro Otto tem, ainda, uma pequena galeria de arte, boate, lojinhas que vendem suvenires e um albergue com gastronomia regional.

Piedras Blancas
Piedras Blancas
Piedras Blancas (Foto: Bariloche Turismo/divulgação)

 

Piedras Blancas é uma importante atração turística na região de Bariloche. Ela tem características próprias e exclusivas que a diferenciam de outras estações de inverno. É também um lugar com história. Foi lá que o esqui começou a se desenvolver na Argentina com a primeira escola gerida pelo lendário Otto Meiling.

Localizado na ladeira sul do Cerro Otto, é um dos passeios mais procurados por turistas brasileiros durante a temporada de inverno. Ideal para quem nunca esteve antes em uma estação de esqui. Com 3 mil metros de pistas exclusivas para a prática do esquibunda e descidas de boias (tubing), Piedras Blancas tem várias outras atividades de neve como o Zip Line, uma tirolesa sobre as árvores. A infraestrutura local conta com teleférico, ônibus, trenós, escola de esqui e snowboard, confeitaria e restaurante com comidas típicas.

Cerro López

Localizado aos pés da cidade de Colonia Suiza e dos lagos Moreno e Nahuel Huapi, Cerro López tem 2.075 metros de altitude. Distante cerca de 25 quilômetros do centro de Bariloche, faz parte do Circuito Chico. Entre as atividades disponíveis está a prática de arvorismo, onde os aventureiros voam entre plataformas sobre uma floresta. Há também passeios a cavalo e caminhadas com raquetes de neve.

Excursões em veículos 4×4 levam aos refúgios de montanha López, Roca Negra e Extremo Encantado. O percurso através de uma estrada íngreme passa por mirantes naturais que permitem visualizar o imenso Parque Nacional Nahuel Huapi com seus lagos, ilhas e montanhas. Não economize nas fotos.

Cerro Challhuaco
Descida de trenó na neve
Trenó na neve (Foto: Daren Mehl/Pixabay)

 

Distante 20 quilômetros de Bariloche e dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, o Cerro Challhuaco traduz o espírito da Patagônia. Caminhar pelas trilhas da floresta nevada e até sobre um lago congelado são experiências inesquecíveis.

Entre os destaques do lugar está o refúgio Neumeyer, que oferece atividades para adultos e crianças. Entre elas, caminhadas com raquetes de neve, esqui, trenó (culipatine). As pistas são bem sinalizadas para garantir a segurança de todos.

E quando a fome bater é hora de celebrar a viagem com um momento gastronômico único e inesquecível com os sabores regionais. As refeições acontecem em um espaço aconchegante, aquecido e decorado com o estilo da Patagônia.

Cerro Campanário

 

Teleférico
Teleférico (Foto: Carlos Bohorquez/Pixabay)

 

Às margens do lago Nahuel Huapi a montanha tem pouco mais de mil metros de altura. O acesso é feito à pé ou através de teleférico e a vista lá do alto é muito bonita. No cenário estão os lagos, a península de San Pedro, a Ilha Victoria, os cerros Otto, López, Goye, Bellavista, a catedral, o hotel Llao Llao e os bosques da Colônia Suíça.

No alto do Cerro Campanário está uma doceria que oferece deliciosos pastéis caseiros, pratos do dia, bebidas e infusões.

Para quando você for a Bariloche

A cidade localizada a oeste da Província de Rio Negro, às margens do Lago Nahuel Huapi e próximo da Cordilheira dos Andes.

Idioma

Espanhol

Moeda

Peso (ARS) – Mas o dólar e o real são aceitos no comércio local. Porém, a cotação utilizada não costuma ser é vantajosa.

Visto

Não é necessário para brasileiros em viagem de turismo. Também não é necessário a apresentação de passaporte. Basta apenas um RG em bom estado e com menos de dez anos. A CNH não é aceita para fins de imigração.

Saúde

Não é mais necessário apresentar comprovante de vacinação ou testes para entrar na Argentina. Entretanto é preciso apresentar declaração juramentada online (preenchidas 48h antes da viagem) e seguro viagem com cobertura para Covid-19.

Como chegar

Bariloche está distante cerca de 1,6 mil quilômetro de Buenos Aires. Voos a partir da capital argentina têm duração de 2h20. Aerolineas Argentinas e Latam oferecem voos regulares entre as duas cidades.

A GOL Linhas Aéreas e Aerolineas Argentinas oferecem voos sazonais a partir de São Paulo durante a alta temporada de inverno em Bariloche.

Quando ir

Em Bariloche as estações do ano são as mesmas da região Sul do Brasil. Os meses mais frios – na verdade gelados – são junho, julho e agosto, enquanto que dezembro, janeiro e fevereiro são os mais quentes.

Como circular

A melhor opção para circular em Bariloche e região é alugar um carro. Assim terá mais conforto e agilidade para visitar os principais pontos de atração na cidade e, se tiver tempo, visitar destinos vizinhos como San Martin de Los Andes, Rota dos 7 Lagos, Vulcão Lanín, El Bolsón, Puerto Blast e Villa Angostura.

Caso não queira dirigir a opção é contratar os vários tours disponíveis na região.

Gastronomia
Gastronomia
Foto: Francisco365/Pixabay

 

Bariloche oferece uma boa variedade de restaurantes, pizzarias, churrascarias e bares. Nos cardápios há desde pratos da culinária local até da cozinha europeia. E, claro, tudo acompanhado por um bom vinho Malbec ou cerveja artesanal. Entre os pratos recomendados estão a famosa Parrilhada, truta defumada, salmão, cordeiro patagônico, empanadas, carne grelhada, fondue de queijo, massas caseiras e o famoso choripan – sanduíche de linguiça temperada com chimichurri ou salsa criolla.

Fica a dica!

Festa Nacional da Neve

Realizada em Bariloche em agosto, tem programação com corridas, concursos, shows, gincanas, feira, desfiles de carros alegóricos e a escolha da rainha da neve. A festa marca a temporada de inverno e tem atividades para visitantes e moradores da cidade.

Rota Cervejeira
Rota Cervejeira em Bariloche
Cerveja artesanal (Foto: Emprotur/divulgação)

 

As principais cervejarias de Bariloche estão no centro, perto do Centro Cívico, entre as ruas Jureamento, 20 de Febrero e Elflein. Uma boa opção também é a Rota Cervejeira e suas diversas alternativas gastronômicas: as cervejarias Wesley, Gibert e a famosa Patagônia.

Foto do destaque: Bariloche turismo/divulgação

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana