Logo Blog.easytravelshop

Rio Grande do Norte é destaque no Nordeste

Rio Grande do Norte é destaque no Nordeste

O Nordeste brasileiro é atração o ano inteiro, mas com a chegada do verão e das férias escolares os destinos ganham ainda maior interesse. E o Rio Grande do Norte é sempre uma das estrelas da região. A porta de entrada é a bela cidade de Natal, a capital do estado.

O estado potiguar tem forte apelo turístico e atrai mais de 2 milhões de turistas anualmente. São visitantes nacionais e internacionais atraídos pela beleza natural de suas praias, montanhas e sertão.

Situado no ponto geográfico mais estremo do continente, o Rio Grande do Norte tem 410 quilômetros de um litoral emoldurado por dunas e falésias.

Rio Grande do Norte é destaque no Nordeste
Dunas de Genipabú, em Extremoz (Foto: Emprotur/divulgação)

 

Uma viagem pelo Rio Grande do Norte oferece muitas possibilidades além dos famosos passeios de bugues nas dunas de Natal. Além da capital, os destinos mais visitados são as praias de Pipa, Genipabu e Maracajaú. No interior, a cidade de Mossoró é o destaque. Em todo o estado, a gastronomia é outro delicioso atrativo com pratos à base de frutos do mar, carne de sol, feijão verde e macaxeira.

A origem do termo potiguar vem dos primeiros habitantes da região, os índios potiguares, que em língua tupi significa “comedor de camarão”. Já o nome do estado faz alusão ao Rio Potengi, que nasce na cidade de Cerro Corá e tem sua foz na Praia do Meio, em Natal.

Sol, praias, gastronomia e muito mais

Rio Grande do Norte é destaque no Nordeste
Pipa (Foto: Emprotur/divulgação)

 

O Rio Grande do Norte se divide em cinco polos: Agreste/Trairí (região que faz fronteira com a Paraíba), Costa das Dunas (litorais sul e norte), Costa Branca (litoral norte até a fronteira com o Ceará), Serrano (região meridional do RN) e Seridó (cidades ao sul do RN).

As principais atrações turísticas do Rio Grande do Norte são as rochas e lajedos que fazem o turismo de aventura e de sol e mar; turismo econômico; turismo científico arqueológico; ecoturismo; e turismo de negócios e eventos.

O interior do estado atrai principalmente pelas festas de carnaval (Caicó, Macau e Guamaré), São João (Mossoró) e de datas religiosas (Festa de Santana em Caicó e Currais Novos; de Santa Luzia em Mossoró; de Nossa Senhora da Guia, em Acari; e de São Sebastião em Parelhas e Caraúbas). Ganharam força nos últimos tempos os festivais gastronômicos (Martins e Pipa) e o literário (Pipa).

Rio Grande do Norte é destaque no Nordeste
Kitsurf em São Miguel do Gostoso (Foto: Emprotur/divulgação)

 

Distante cerca de 10 quilômetros ao norte de Natal, a cidade de São Miguel do Gostoso é outro importante destino turístico do estado. A pequena cidade praiana parece que parou no tempo. Ela tem ruas estreitas e de pedras, poucos carros e construções baixas.

Mas o estado não é opção apenas de sol e mar. Quem gosta de frio vai curtir as temperaturas das regiões serranas de Monte das Gameleiras, Martins e Serra de São Bento, que chegam a 15 graus.

Para quando você for ao Rio Grande do Norte

Arena das Dunas em Natal
Arena das Dunas em Natal (foto: Emprotur/divulgação)

 

A natureza privilegiou o Rio Grande do Norte. O estado tem sol o ano inteiro, praias maravilhosas, região serrana, dunas, lagoas e povo hospitaleiro. A capital Natal oferece a mistura perfeita entre lazer, qualidade de vida e ótima rede de serviços, com bons hotéis na Via Costeira e também na Praia de Ponta Negra.

Como chegar

Os aeroportos Governador Aluízio Alves, em Natal, e o Governador Dix Sept Rosado, em Mossoró, são as portas de entrada para o Rio Grande do Norte. O estado tem uma malha aérea que o conecta com os principais aeroportos do Brasil e voos diretos para cidades da Europa e América do Sul.

Como circular

A partir do aeroporto de Natal há transfers de chegada e saída para os hotéis da capital. Boa opção é contratar um city tour pelos principais pontos turísticos da cidade.

Alguns city tours são oferecidos na forma de combo com três passeios por belas praias, incluindo a Via Costeira, Fortaleza dos Reis Magos, Catedral de Natal e os bairros de Santos Reis, Rocas e Ribeira.

Gastronomia
Bobó de camarão
Bobó de Camarão (Foto: Pixabay)

 

A culinária potiguar recebeu influências da colonização holandesa E portuguesa, bem como pela cultura indígena. Está basicamente dividida em duas partes: frutos do mar e produtos da terra (tapioca, milho verde, coco, frutas tropicais etc).

Entre os principais pratos típicos do Rio Grande do Norte estão os pratos preparados com camarão, lagosta, crustáceos, feijão verde, macaxeira e a famosa ginga (peixe frito com o óleo de dendê e servido com tapioca).

  • Bobó de Camarão – Prato de origem africana com influência indígena. Leva aipim, azeite de dendê e o camarão com um creme pouco consistente feito de inhame, pimenta e sal.
  • Caranguejada – Caranguejo fervido ao leite de coco com tomate, pimentão, cebola e temperos;
  • Paçoca – Carne de sol triturada e desfiada misturada com cebola;
  • Baião de dois – Feijão e arroz cozinhados na mesma panela com vários ingredientes e temperos;
  • Galinha a cabidela – Também conhecida como galinha ao molho pardo;
  • Carne de Sol à Moda Potiguar – Carne de Sol com farofa d’água ou do sertão (farinha de mandioca com cebola e coentro), arroz de leite, feijão verde ou de corda, macaxeira frita ou cozida, salada básica (alface, tomate e cebola) e manteiga da terra (feita de leite natural integral).
  • Cocada – Doce de coco com açúcar branco ou escuro cortado em forma de quadrinhos ou discos;
  • Cuscuz – Massa de milho, pilada, temperada com sal, cozida ao vapor d’água e depois umedecida com leite de coco. Pode ser com ou sem açúcar. Consumido preferencialmente no café da manhã.
  • Linguiça do Sertão – Linguiça típica do interior nordestino.
Foto do destaque: Praia de Genipabú em Extremoz (Emprotur/divulgação)

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana