Logo Blog.easytravelshop

Ilha de Páscoa e as misteriosas esculturas de pedras

Ilha de Páscoa e as misteriosas esculturas de pedras

Depois de passar por Santiago, a bela capital chilena. Curtir o fascinante Deserto do Atacama. Saborear os bons vinhos produzidos em vinícolas charmosas. Aproveitar as praias de Viña del Mar e Valparaiso. E se divertir na temporada de inverno nas melhores estações de esqui do continente. É chegada a hora de descobrir os mistérios que envolvem a Ilha de Páscoa e suas esculturas de pedras com mais de 600 anos. Bem como ao belo arquipélago de Chiloé, repleta de casas de madeira coloridas que encantam toda a sua costa. E, ainda, a Ilha Magdalena, cujos únicos habitantes são os pinguins.

Ilha de Páscoa

Moai na Ilha de Páscoa
Moai na Ilha de Páscoa (Foto: Thomas Griggs/Unsplash)

 

A Ilha de Páscoa está a 3,7 mil quilômetros de distância da costa do Chile, no meio do Oceano Pacífico. A única cidade da ilha é Hanga Roa, onde está o aeroporto, bem como restaurantes, lojas e hotéis.

Porém, apesar de remoto, o exótico destino atrai e turistas do mundo inteiro. E o motivo de fascinação dos visitantes são as famosas e misteriosas estátuas – chamadas moai. Além disso, elas medem entre 4,5 metros a 6 metros de altura, sendo a maior delas com mais de 20 metros.

Elas estão espalhadas pelos 118 quilômetros quadrados da Ilha de Páscoa. São cerca de 900 esculturas de pedra de origem vulcânica, erguidas entre os séculos 10 e 16. Elas representam os antepassados do povo de origem polinésia, os Rapa Nui, que chegaram à ilha há mais de 2 mil anos. Os moai são consideradas Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Rapa Nui também é o nome nativo da ilha. Ilha de Páscoa foi adotado porque os primeiros exploradores europeus aportaram na ilha em um domingo de Páscoa, em 1722.

Os mistérios da Ilha de Páscoa
Ilha de Páscoa no Chile
Foto: Pixabay

 

Apesar da evolução da Ciência, pesquisadores nunca conseguiram explicar os mistérios que envolvem o povo Rapa Nui e as esculturas. Como os grandes e pesados moai foram transportados. Ou para que serviam as mais de 300 plataformas cerimoniais chamadas de “ahu”

Além das estátuas, o povo polinésio também deixou vestígios como os petróglifos (gravuras rupestres) e uma escrita que ainda não foi decifrável. Infelizmente o povo nativo foi praticamente dizimado com a colonização. Atualmente, a Ilha de Páscoa tem pouco mais de 4 mil habitantes. Alguns poucos são descendentes dos Rapa Nui.

Parque Nacional Rapa Nui

O Parque Nacional Rapa Nui abriga os “ahu”. Além disso, o mais famoso deles, o Ahu Tongariki, onde estão 15 esculturas, bem próximo do vulcão Rano Raraku.

  • Vilarejo de Orongo – Localizada no vulcão Rano Kau, são cerca de 50 casas quase subterrâneas. Elas foram construídas com pedras e são decoradas com petróglifos.
Como chegar

A Latam é a única companhia aérea com rotas regulares para a Ilha de Páscoa. Entretanto, saindo de São Paulo, é preciso realizar uma escala em Santiago.

O que fazer
Praia Anakena na Ilha de Páscoa
Praia Anakena (Foto: Hal Cooks/Unsplash)

 

A Ilha de Páscoa tem muitas trilhas, que podem ser percorridas a pé, de bike, cavalo e até de carro. Há, também, opções de divertidos passeios de caiaque e percorrer áreas repletas de grutas. O ponto de partida é Hanga Roa

  • Anakena – Praia tranquila e com areia branquinha. Porém, a água do mar é bem fria.

Ilha Grande de Chiloé

Ilhas Chiloé no Chile
Palafitas em Castro (Foto: Pixabay)

 

Ilha localizada no Oceano Pacífico ao largo da costa do Chile, a Ilha Grande de Chiloé é a quinta maior em tamanho da América do Sul. Ela está na Região de Los Lagos e é a maior do arquipélago Chiloé – ao norte da Patagônia Chilena. É separada do continente pelo canal de Chacao. A localidade de maior importância é Castro, destino com casas de madeira coloridas em palafitas sobre o mar.

Verdadeiro santuário ecológico, a ilha Chiloé tem paisagens lindas, bem como cultiva lendas e tradições. O destino oferece aos visitantes a possibilidade de praticar o agroturismo com atividades ao ar livre como trekking e caiaque. Além disso, tem uma gastronomia incomparável.

O arquipélago tem outras ilhas que valem visita. A mais famosa delas é a Mechuque. Já as ilhas de Lemuy, em Queilen, surpreendem os turistas com seus impressionantes mirantes.

Roteiro das igrejas
Igreja na Ilha de Chiloé
Foto: Pixabay

 

Entre os atrativos estão coloridas igrejas de madeiras coloridas construídas entre os séculos 17 e 19, sendo que 16 delas são consideradas Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. As principais são: Igreja de Achao, Igreja de Quinchao, Igreja São Francisco, Igreja de Rilán, Igreja de Nercón, Igreja de Aldachildo, Igreja de Ichuac, Igreja de Detif, Igreja de Vilupulli, Igreja de Chonchi, Igreja de Tenaún, Igreja de Colo, Igreja de São João, Igreja de Dalcahue, Igreja de Chelín e Igreja de Caguach.

  • Santa Maria de Loreto de Achao – Localizada na comunidade de Quinchao, é a maior igreja do roteiro. Ela mistura estilos neoclássico e neogótico. Além disso, sua construção levou quase 80 anos para ser concluída. É considerada uma das mais importantes e valiosas de todo o Chile.
Parque Nacional Chiloé

Juntamente com o Parque Tantauco, possui cenário natural com rios e lagos de grande beleza. Situado no meio da Isla Grande, atrai aventureiros em busca dos pontos mais altos, onde as vistas são espetaculares. O Parque está na cidade de Castro.

Museu Regional de Ancud

Ideal para conhecer a história dessa terra mística através de acervo com objetos e artesanato local.

Forte San Antonio

Outro interessante atrativo da ilha Chiloé, proporciona uma vista excepcional do porto.

Dalcahue

Povoado onde os turistas podem comprar lembrancinhas de Chiloé em uma feirinha de artesanato. Entre os itens oferecidos estão roupas, objetos de decoração e souvenires diversos. A matéria prima utilizada é preferencialmente a lã de ovelha,

Lá está também a cachoeira de Tocoihue e uma das igrejas declaradas como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, bem como a Igreja Nuestra Señora de Los Dolores, construída em 1489.

Las Cocineras
Curanto é comida típica do Chile
Curanto (Foto: Esteban Varas / Wikimedia Commons CC BY-SA 4.0)

 

Mercadinho gastronômico ao lado da feirinha é point dos turistas. O lugar oferece diversas opções da saborosa comida local. Destaque para as empanadas de marisco e o curanto, um prato local preparado com frutos do mar, carne, frango, linguiça e vegetais em um buraco na terra com pedras quentes.

Como chegar

A melhor alternativa é pegar um voo em Santiago para o aeroporto de Mocopulli em Castro. Porém, há outros voos partindo da capital chilena com destino a Puerto Montt de onde é preciso pegar um ferry que cruza o canal de Chacao para chegar a Chiloé.

Quando ir

Evite viajar no inverno (junho a agosto) quando o frio é bem intenso. Além disso, chove muito nesse período. Prefira os meses de janeiro, fevereiro, março e dezembro.

Ilha Magdalena

Ilha Magdalena no Chile
Ilha Magdalena (Foto: Peter Burdon/Unsplash)

 

Por fim, a pequena ilha no Estreito de Magalhães onde os únicos habitantes são os pinguins. Ela é ocupada durante todo o ano por uma pequena força de guardas florestais: seis no verão e três no inverno.

Localizada a 35 quilômetros de Punta Arenas, na Patagônia Chilena, a Ilha Magdalena é o lar de uma pinguineira com mais de 120 mil pinguins-de-magalhães. Assim, entre outubro e março, as estranhas e simpáticas aves utilizam a ilha para colocar seus ovos em ninhos cavados na primavera.

Foto do destaque: Pixabay

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana