Logo Blog.easytravelshop

Áreas verdes e passeios ao ar livre em Buenos Aires

Além de cenário cultural entre os melhores da América do Sul, a cidade de Buenos Aires possui incríveis espaços naturais protegidos, além de mais de 600 áreas verdes para desfrutar. São espaços ideais para caminhar, descansar ou praticar esportes. A seguir relacionamos alguns dos mais importantes:

Jardim Japonês

Áreas verdes e passeios ao ar livre em Buenos Aires
Jardim Japonês (Foto: Pixabay)

 

Recanto de paz e tranquilidade em Palermo, o encantador Jardim Japonês tem 120 mil metros quadrados com mais de 350 espécies de plantas típicas do Japão. As cerejeiras são destaque do lugar e quando floridas tornam o visual ainda mais esplendoroso. Há também um lago com carpas, uma ilha, várias pontes, esculturas relacionadas à cultura oriental, uma legitima casa de chá, um centro cultural, restaurante de cozinha japonesa, loja de artesanato e um viveiro de plantas, onde são comercializados bonsais.

O Jardim Japonês abre diariamente das 10h às 18h, com exceção dos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. Menores de 12 anos e maiores de 65 não pagam ingresso. O restaurante abre para almoço e jantar e tem estacionamento no local. Importante fazer reserva.

Parque Carlos Thays

É um espaço verde localizado no bairro da Recoleta que preserva uma importante variedade de espécimes de árvores e oferece às crianças a oportunidade de realizar expedições botânicas. Os pequenos têm também a Biblioteca Infantil da Natureza, que através de histórias e desenhos investiga as ciências naturais de forma divertida.

São aproximadamente 4,5 mil metros quadrados de áreas verdes. No local funcionava o antigo parque de diversões Italpark, fechado em 1990. Um edifício de 1915 abriga o Museu de Arquitetura, criado com o objetivo de exibir, preservar e divulgar o patrimônio arquitetônico urbano da capital argentina.

Há várias obras espalhadas pelo parque Thays, entre elas a estátua às Nações Unidas, da escultora Marta Minujín; o Torso Masculino, do artista plástico colombiano Fernando Botero; o monumento Pro Cultura Nacional, do escultor italiano Alejo Afani; e El Árbol, do artista Néstor Basterretxea.

Parque Centenário

Outra obra do paisagista Carlos Thays em Buenos Aires. O Parque Centenário foi assim batizado em 1909, para comemorar os cem anos da Revolução de Maio.

Antes, porém, em 1898, a Prefeitura de Buenos Aires adquiriu a área que pertencia à família Lezica, proprietária também das terras do atual Parque Rivadavia.

O parque tem um lago com patos e peixes, um anfiteatro, reconstruído em 2009, onde são realizados espetáculos no verão. Há também uma fonte, murais populares e várias esculturas.

Durante a semana acontece, na calçada externa, uma feira de livros e revistas usadas.

Parque Mulheres Argentinas

Inaugurado 2007, o parque homenageia as grandes mulheres argentinas. Ele tem uma ampla praça central e níveis que oferecem uma vista panorâmica privilegiadas da área. Entre as espécies encontradas por lá estão jacarandás, araucárias e magnólias, todas características da flora argentina.

O Parque Mulheres Argentinas foi desenhado pelos arquitetos Irene Joselevich, Graciela Novoa, Alfredo Garay, Néstor Magariños, Carlos Verdecchia, Adrián Sebastián, Marcelo Vida e Eduardo Cajide, os mesmos que projetaram o parque Micaela Bastidas.

Praça San Martin

Uma das praças mais antigas da cidade, foi palco de fatos históricos importantes do país. Entre eles o combater durante a segunda invasão inglesa, em 1807, que terminou com uma vitória “criolla”. Em 1812, o general San Martín instalou na praça os quartéis do Regimento dos Granadeiros a Cavalo. Em 1878, centenário do nascimento do militar, foi batizada como Plaza San Martín. Além da vegetação abundante, a praça apresenta importantes monumentos e esculturas.

Ecoparque

Antigo zoológico de Buenos Aires, foi transformado em um Ecoparque interativo, educativo e ambiental. Ideal para passeios em família, oferece atividades educacionais e recreativas. Um convite para aprender sobre os animais e ambientes naturais.

Durante o passeio ao ar livre os visitantes podem admirar os edifícios históricos que mantêm seus diferentes estilos arquitetônicos.

Reserva Ecológica

Com 350 hectares de áreas verdes, a Reserva Ecológica Costanera Sur é o maior espaço verde da cidade de Buenos Aires. Oportunidade para conhecer a flora e a fauna nativas da cidade. O complexo verde engloba florestas, pradarias, lagos e lagoas. É um dos lugares preferidos para caminhar, andar em bicicleta, correr ou passar o dia em família. Ao longo de suas diversas trilhas estão muitas espécies de aves, mamíferos, anfíbios e répteis. Foi declarada Parque Natural e Zona de Reserva em 1986.

Parque Tres de Febrero

O Parque Tres de Febrero também é conhecido como “Os Bosques de Palermo”. Inaugurado em 1875, é o favorito dos turistas que visitam a capital argentina.

É um dos espaços verdes mais conhecidos da cidade ne muito procurado para passeios, descanso e atividades físicas. Com mais de 10 mil tipos de árvores, possui dois lagos artificiais, que podem ser percorridos de barco ou em pedalinhos.

Localizado na Avenida Sarmiento entre a Av. Del Libertador e Rua Figueroa Alcorta, o parque guarda o monumento a Chapeuzinho Vermelho, realizado em mármore e adquirido pela cidade de Buenos Aires em 1937.

Outro destaque do parque é o Rosedal, que tem uma coleção com mais de 8 mil rosas e um lago que o rodeia. Há, também, um anfiteatro, um pátio andaluz e o Jardim do Poetas, com bustos de poetas e escritores famosos como Alfonsina Storni, Dante Alighieri, William Shakespeare, entre outros.

Jardim Botânico

Áreas verdes e passeios ao ar livre em Buenos Aires
Jardim Botânico (Foto: Christian von Koenig/Unsplash)

 

Localizado no bairro de Palermo, o Jardim Botânico de Buenos Aires foi inaugurado em 1898, e foi desenhado pelo paisagista francês Carlos Thays. É um lugar aprazível para caminhar e relaxar. Possui diversas trilhas através de espécies nativas argentinas e de outras partes do mundo.

Com mais de sete hectares de áreas verdes, abriga uma biblioteca de botânica, três jardins – um francês, um romano e um oriental -, um herbário, cinco estufas (uma delas de estilo Art Nouveau que foi premiada na Exposição Universal de Paris de 1900), diversas esculturas e um casarão de estilo inglês, onde são realizadas exposições de arte temporárias e oficinas.

Bioparque Temaikèn

Em 2016 a Prefeitura de Buenos Aires fechou o antigo zoológico. Atualmente, o Bioparque Temaikèn é o único autorizado a manter animais em cativeiro na cidade. O lugar combina jardins botânicos, zoológicos, aquários e museus de história natural e antropologia. O parque simula os 5 diferentes ecossistemas da Argentina.

O Bioparque Temaikèn abriga mamíferos, peixes, répteis e aves. Parte deles oriundos de ações de resgate de espécies contrabandeadas. As crianças também adoram os dinossauros gigantes que se movem e emitem sons e estão espalhados pelo parque.

Passeio de bike

 

Áreas verdes e passeios ao ar livre em Buenos Aires
Passeio bike (Foto: Ulises Varela/Unsplash)

 

Quem curte andar de bicicleta pode conhecer a capital portenha pedalando uma magrela. Buenos Aires dispõem de um sistema totalmente gratuito com mais de 3 mil bicicletas para seus moradores e turistas. A cidade conta com 200 km de ciclovias distribuídos em 30 bairros. Para a segurança dos ciclistas elas são resguardadas do resto do trânsito por meio de uma separação física.

Um aplicativo para celular fornece informações sobre roteiros, estacionamento, como obter uma bicicleta e onde estão os 240 pontos de wi-fi.

  • BiciTour – É possível fazer um passeio guiado sobre duas rodas para conhecer um pouco mais sobre a cidade e suas áreas verdes. O Turismo de Buenos Aires oferece opções a preços acessíveis. Um dos tours explora o bairro La Boca e um outro o de Palermo.

Ilha Martin Garcia

Localizada no Rio da Prata, quase em território uruguaio, a Ilha Martin Garcia é uma reserva natural localizada a 60 km da capital da Argentina. É um passeio de barco interessante para quem deseja conhecer um pouco da história do lugar. No passado ela serviu de presídio para condenados perigosos de Montevidéu e de Buenos Aires. Entre os presos famosos figura o nome do ex-presidente argentino Juan Domingo Perón.

Com 168 hectares, a ilha tem várias trilhas que a atravessam de um lado ao outro. Uma delas passa pelas ruínas de uma antiga base militar. A infraestrutura do lugar conta com uma antiga capela, teatro, padaria, pequenos museus, uma pousada, restaurantes familiares e o velho farol.

Foto do destaque: Benjamin Rascoe/Unsplash

Matérias mais recentes

Recomendado para você

Notícias mais lidas da semana